• Stoff Costa

Ninguém aceita Marcelo Miranda, emedebistas e siglas aliadas rejeitam caminhar com ex-governador

Retorno do ex-governador ao comando do MDB estadual constrange emedebistas e partidos aliados nas eleições municipais.

A ultima surpresa do MDB nos bastidores politico foi o retorno do ex-governador Marcelo Miranda ao comando da sigla no Tocantins. Visto por alguns como estrategia politica para direcionar recursos da campanha para municípios onde a esposa do ex-governador e deputada federal Dulce Ribeiro tem representatividade e aliados, fortalecendo assim o nome de Dulce nos municípios.


O ex-governador do Estado, cassado duas vezes, estava afastado do comando do MDB desde o ano passado, quando foi preso por conta de um desdobramento da Operação Reis do Gado, da Polícia Federal. Foram 11 meses longe das funções partidárias e 146 dias detido no Comando Geral do Polícia Militar.


A prisão de Marcelo Miranda é o fator que mais incomoda os pré-candidatos do MDB e as siglas partidárias que já haviam declarado apoio a pré-candidaturas de chapas marjoritarias encabeçadas pelo partido. O desconforto é tão grande que existem siglas partidárias dispostas a desfazerem as alianças firmadas com o MDB.


De acordo com as fontes ouvidas pelo "O na integra", caminhar, dividir palanque e obter apoio do ex-governador é considerado um suicídio politico e com certeza será um fator negativo na opinião pública e consequentemente no resultado das urnas, ninguém está disposto a arriscar.

126 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 por BLK Entertainment Brasil. Todos os direitos reservados a O na íntegra comunicação e mídia.