• Stoff Costa

Indicado para cargo no Ministério da Agricultura, Cesar Halum foi acusado de corrupção em Tocantins

O indicado do Centrão para a Secretaria de Políticas Agrícolas do Ministério da Agricultura é o presidente do Republicanos em Tocantins, o ex-deputado federal e atual secretário da Agricultura do estado César Halum.




Halum, cuja nomeação para o cargo no governo de Jair Bolsonaro deve ocorrer nos próximos dias, é citado em um inquérito que também envolvia o atual deputado federal Carlos Henrique Gaguim (DEM).


Ambos eram acusados dos crimes de falsidade ideológica, peculato, corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro.


A investigação começou há quase 10 anos, depois que funcionários de um banco denunciaram o pagamento de propina para que a instituição financeira mantivesse um convênio com o governo de Tocantins. Os atos ilegais teriam sido praticados entre 2008 e 2010, quando Gaguim foi governador em mandato tampão e Halum era deputado estadual.


O banco, segundo os denunciantes, teria pago R$ 500 mil para um lobista e parte da propina teria sido entregue a Halum, o que ele nega. Na época, o então deputado estadual disse não ter qualquer relação com os fatos e afirmou que ficaria comprovada a “motivação caluniosa” das denúncias.


Em maio de 2018, há exatos dois anos, o inquérito sobre o caso, que tramitava no Supremo Tribunal Federal, foi enviado para o Tribunal de Justiça em Palmas, após decisão do STF de reduzir o alcance do foro privilegiado de congressistas.


No sistema do TJ local, a última movimentação no processo, que está sob segredo de Justiça, é daquele ano, 2018.


O portal "O Antagonista" que publicou a matéria citando que Halum é acusado de corrupção, conversou por telefone com o ex-deputado federal. Ele se queixou do fato de essa investigação sempre vir à tona.


“Eu nem tenho advogado acompanhando aquilo, porque aquilo é uma besteira. É coisa de política, né? Mas tive alguns contatos e aqui decidiram que não é da alçada deles e soube que devolveram [o processo] para Brasília. Essa denúncia é de 10 anos atrás, de um adversário meu. Fizeram o processo de investigação. Dentro dos autos, não tem como fazer denúncia, porque não tem fato concreto e tal e tal. Esse processo está lá, nunca me denunciaram, é investigação até hoje. Segundo o advogado do partido, já prescreveu, mas nem corro atrás disso.”


Também falamos com o deputado Carlos Henrique Gaguim. Ele disse:


“Aquilo lá, deixa eu te contar, eu não faço parte da investigação. Eu estou lá, porque eu era governador, num mandato tampão. O cara acusa o César Halum, diz que o César Halum tinha pedido para ele [propina]. E tudo o que ele falou… o César provou que não tinha nada daquilo que ele falou. Esse processo está parado lá, sabe por quê? Porque não tem consistência das provas contra o César. Esse processo já foi, já até prescreveu, já está até prescrito. Desceu para lá. O que o cara denunciou não procede, é por isso que está lá parado. Eu nem advogado coloquei.”


(Com informações do O Antagonista)


161 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 por BLK Entertainment Brasil. Todos os direitos reservados a O na íntegra comunicação e mídia.