O na íntegra- jornalismo coragem

MENU
Logo
Quarta, 24 de fevereiro de 2021
Publicidade
Publicidade

Big Brother Brasil

Ídolos também cometem erros, é natural do ser humano

Artistas como Karol Conka e Projota se permitem errar dentro do reality global e é alvo de rejeição. 

146
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

"Quem nunca errou que atire a primeira pedra." Frase bíblica e atribuída a Jesus Cristo em relatos da bíblia sagrada é uma boa frase para refletirmos nesse momento de tanta intolerância e linchamentos virtuais que os artistas vem sofrendo após sequências de erros e falhas no confinamento do reality Big Brother Brasil, exibido pela Rede Globo.


O ser humano é naturalmente bom ou ruim? Essa é uma questão que, há séculos, o homem tenta responder. Uma das ideias mais tentadoras — e muito popular — é a crença de que nascemos bons, mas, influenciados pela "sociedade", nos tornamos egoístas, gananciosos e cruéis. Mas uma coisa é fato, errar faz parte do ser humano.

É indiscutível que as atitudes dos participantes do reality show em relação ao ex-participante Lucas Penteado é revoltante e chega a causar ânsia de vômitos. Mas o comportamento dos considerados "vilões" desta edição é o reflexo da sociedade em que estamos inseridos e parte do perfil do ser humano. Como canta projota na letra do "O homem que não tinha nada", o ser humano é falho.

Certamente você falha e erra todos os dias, nada mais compreensível, afinal você não é uma máquina, um robô programado para acertar sempre.

Quantas vezes na vida não nos pegamos fazendo um comentário preconceituosos, desrespeitando um semelhante e até mesmo excluindo de nosso ciclo de convívio? Inúmeras vezes por que falhamos e diariamente estamos propícios ao erro.

Faz-se necessário uma reflexão, afinal estamos combatendo a intolerância e o ódio ou simplesmente legitimando e fortalecendo os discursos intolerantes e de ódio?

Estamos cercados de pessoas que amamos e que falham, erram e cometem seus delitos diariamente e nem por isso saímos crucificando os que amamos. Seja por empatia, carinho ou ligação de parentescos, fingimos não enxergar, décimos dar uma segunda chance ou até mesmos internamente minimizamos a situação. 

Os ídolos também erram e são dignos de compaixão, empatia e compreensão. Precisamos sermos menos hipócritas e permitir que aqueles que erram tenham a oportunidade de corrigir os erros, mudar as atitudes, perdi perdão e aprender com os próprios erros e quem sabe cometer outros erros, afinal os erros é parte da nossas buscas enquanto seres humanos e da nossa trajetória de aprendizado.

Créditos (Imagem de capa): Internet

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )