O na íntegra - Jornalismo Coragem

Quinta, 06 de outubro de 2022
MENU

Política

Candidato a vice-governador de Dimas foi listado com contas julgadas irregulares

Vale lembrar que a decisão de declarar ou não a inelegibilidade não cabe à Corte de Contas.

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Freire Júnior (MDB) está na relação nominal que aponta gestores que tiveram contas julgadas irregulares com a obrigação de ressarcimento de valores ao erário, em decisões já transitadas em julgado.

O presidente do Tribunal de Contas do Tocantins (TCE/TO), conselheiro Napoleão de Souza Luz Sobrinho, enviou ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, a relação dos gestores que possuem contas de ordenador julgadas irregulares, cujas decisões já transitaram em julgado no âmbito da Corte de Contas. Entre os nomes que estão na lista, está o do candidato a vice-governador do Tocantins, na chapa com Ronaldo Dimas (PL), Freire Júnior (MDB).

O envio segue as exigências da Lei 9504/97, conforme prevê o artigo 11: “os Tribunais e Conselhos de Contas deverão tornar disponíveis à Justiça Eleitoral relação dos que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente”.

As listas estão separadas pela seguinte ordem: a relação de gestores com contas julgadas irregulares e que possuem ação de revisão tramitando, pedido que não possui efeito suspensivo, ou seja, não suspende a decisão que declarou as contas irregulares, mas caso o pedido revisional seja julgado procedente, a decisão pode ser modificada.

Em outra lista estão a relação das contas de gestores com contas julgadas irregulares, e também a de responsáveis por contas consolidadas que receberam parecer prévio pela rejeição do TCE, e seguem para julgamento das Câmaras Municipais e Assembleia Legislativa.


Vale lembrar que a decisão de declarar ou não a inelegibilidade não cabe à Corte de Contas. O TCE encaminha as relações ao Tribunal Regional Eleitoral que faz a análise e informa se os gestores estão aptos ou não a se candidatarem. (Correio do Bico)

Créditos (Imagem de capa): Internet

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!