O na íntegra - Jornalismo Coragem

Quinta, 07 de julho de 2022
MENU

Política

A cara de pau do possível chefe de quadrilha, Mauro Carlesse

Carlesse age com total ausência de caráter e tenta vitimizar-se, se colocando a um lugar que nunca pertenceu o de honesto.

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O ex-governador do Tocantins, Mauro Carlesse em entrevista a uma rádio de Palmas, usou o espaço para atacar os adversários políticos e se colocar como vítima de um golpe político.

Carlesse age com total ausência de caráter e tenta vitimizar-se, se colocando a um lugar que nunca pertenceu, o de honesto.

O ex-governador afirmou que não sabe se Wanderlei já planejava mudar de lado durante a gestão que acabou em outubro.

“O motivo, se ele mudou de lado, se estava planejando, eu não tenho esse conhecimento. A partir do momento em que eu fui afastado para me defender, imediatamente eu senti que mudou em 24 horas. Mudou porque já entrou a senadora [Kátia Abreu] para dentro, Vicentinho [Jr, deputado federal] para dentro, todas as pessoas que eram adversárias nossas entrou para dentro do Palácio. Aí eu senti que a coisa tinha tomado outro caminho”, constatou.

Para ele, seu afastamento, foi “um golpe contra o Estado do Tocantins”. “São políticos velhos que se juntaram para prejudicar o Estado do Tocantins. Essa é a pura realidade. Em qualquer lugar vou falar dessa forma porque é a pura verdade”, avisou.

Contraditório, Carlesse vim a público afirmar que sofreu um golpe dos "velhos" políticos, mas os deputados que hoje estão com Wanderlei, são os mesmos que estavam com ele e que seus próprios aliados ventilaram os rumores que recebiam mesada na sua ex-gestão.

Carlesse mente descaradamente, basta recordarmos dos inúmeros crimes que o ex-governador é acusado.

O relatório parcial da operação Éris, da Polícia Federal, revelou como funcionava uma central de espionagem instalada na Secretaria de Segurança Pública (SSP) para tentar monitorar investigações da Polícia Civil que evolvessem o governo de Mauro Carlesse (PSL). O grupo seria responsável por vazar informações sobre operações e verificar se existiam grampos telefônicos contra o grupo político do ex-governador. 

As investigações da PF apontaram que os pilares do grupo de espionagem eram o ex-secretário de Segurança Pública, Cristiano Sampaio Barbosa, que atualmente e o ex-diretor de inteligência da Polícia Civil, delegado Ênio Walcacer de Oliveira Filho.

O relatório de 457 páginas, descreve inúmeras interceptações de conversas entre os dois interlocutores. Em um dos trechos a Polícia Federal constatou que o Manual de procedimentos da Polícia Civil estava sendo utilizado como meio para monitorar as ações dos delegados que pudessem prejudicar os interesses do governo.

Acusações contra Carlesse:

Interferência na Polícia Civil

Mauro Carlesse produziu diversos atos privativos da posição de Governador que contrariam a Constituição Federal e Estadual:


Quais atos são esses?

Veto ao §3º do art. 26 da Lei n. 3461/19, a fim de não se exigir fundamentação para a remoção de ofício de Delegado de Polícia;

Portaria n. 573/2019, com o intuito de viabilizar remoção de Delegados de Polícia com fundamento em dados estatísticos, sendo certo que os Delegados atuantes na delegacia especializada em crimes organizados possuiriam baixo índice estatístico, ante a complexidade dos casos;

Medida Provisória n. 18/19, transformando as funções de Delegado-Chefe e Delegado-Adjunto em funções comissionadas, a fim de facilitar sua remoção;

Ato n. 2.415 – DSG c/c Ato n. 1.413-DSG, os quais efetivamente removeram todos os Delegados da DECOR para funções comissionadas, impedindo as investigações contra o Governo do Estado de avançarem

Propina no Plansaúde

Mauro Carlesse, na posição de governador do Estado do Tocantins não respeitou os princípios da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Probidade e Eficiência:


Quais atos seriam desrespeitosos a estes princípios?

Em elaborado esquema de recebimento de propina, obrigou os prestadores de serviço de saúde junto ao Plano de Assistência à Saúde dos Servidores do Tocantins - PLANSAÚDE, a efetuar o pagamento de quantia indevidas como condicionante para o recebimento dos valores devidos pelo Estado de Tocantins;

Movimentou vultosas quantias em espécie na conta pessoal do Sr. Mauro Carlesse para dar aparência de legalidade às vantagens ilícitas recebidas, devidamente comprovada pela Receita Federal;

Movimentações financeiras de vultosas quantias, em espécie, realizadas por pessoas diretamente ligadas ao Governador do Estado, parentes inclusive, bem como de empresas das quais o próprio e demais investigados fizeram ou fazem parte do quadro societário, conforme indicado por Relatórios de Inteligência Financeira - RIF’s, do COAF.

Irregularidades nas eleições municipais

Mauro Carlesse produziu diversos atos privativos da posição de Governador que contrariam a Constituição Federal e Estadual.


Quais seriam os atos irregulares?

Cessão de servidores públicos para coordenação da campanha eleitoral dos candidatos da preferência do governador em Gurupi, Josi Nunes e Glaydson Nato.

Cessão dos servidores públicos da Secretaria de Estado de Comunicação do Tocantins para elaboração de serviços de marketing e produção da propaganda eleitoral.

Distribuição de cestas básicas sem critérios objetivos e em ano eleitoral

Aparelhamento da Polícia Civil

Existência de organização criminosa enraizada no centro do Governo do Estado do Tocantins, liderada pelo Governador do Estado que aparelhou todo o sistema de Segurança Pública do Estado do Tocantins.

Ainda assim o aventureiro e possível chefe de uma organização criminosa instalada dentro do Palácio Araguaia tenta enganar e confundir os tocantinenses mais uma vez.

Créditos (Imagem de capa): Internet

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!